Vítima de uma parada cardíaca, Martinho Lutero Galati de Oliveira morreu no dia 25 de março de 2020, aos 66 anos, na capital paulista. À frente do Coro Luther King, o maestro tornou-se presença constante na programação do Auditório Ibirapuera (AI), tendo se apresentado em muitas oportunidades no foyer da casa.

Desses tantos espetáculos, destacam-se a valorização da cultura brasileira e a abertura para convidados especiais, a exemplo dos cantores Tiganá Santana e Fabiana Cozza. No concerto de 14 de março, três dias antes de o regente ser internado, o coro recebeu, também no AI, o tenor Jean William em mais uma apresentação da série de comemorações dos 50 anos do grupo.

Coro Luther King | foto: Sérgio Castro

Em respeito às determinações de isolamento social em razão da pandemia do coronavírus, homenagens e confraternizações serão deixadas para o futuro, segundo Sira Milani, produtora e esposa de Martinho Lutero. A cremação ocorre hoje, 26 de março, no cemitério da Vila Alpina, em São Paulo.

Veja também

Xênia França – Toca Brasil

De Camaçari (BA) à capital paulista, toda a trajetória de Xênia França e como ela descobriu-se cantora e compositora