A capital paulista teve o auge do seu processo de modernização na metade do século XX, quando importou muitos aspectos urbanos e arquitetônicos de grandes centros europeus. Toda essa movimentação gerou uma vida cultural pulsante, presente até hoje, e que caracterizou São Paulo como uma metrópole.

Parte fundamental desse processo foram os cinemas projetados pelo arquiteto Rino Levi – homenageado na 49ª edição do programa Ocupação Itaú Cultural. Eles foram retratados no documentário Quando as Luzes das Marquises se Apagam, que traça a criação, o auge e a decadência da Cinelândia Paulistana.

O filme integra a mostra on-line Metrópole em Construção, que reúne, ao todo, três longas-metragens e um curta que retratam a modernização de São Paulo. Os filmes ficam disponíveis aqui no site de 2 a 12 de abril. 

Metrópole em Construção – mostra on-line
quinta 2 a domingo 12 de abril de 2020

[após o período, os links serão desativados]

Veja a programação abaixo.

Quando as Luzes das Marquises se Apagam – a História da Cinelândia Paulistana
(Renato Brandão, 2018, 87 minutos)

Com imagens de arquivo e depoimentos de antigos espectadores, uma história das salas de cinema das avenidas São João e Ipiranga e de suas imediações, no centro de São Paulo. Conhecida como Cinelândia Paulistana, essa área viveu seu auge na década de 1950, chegando a ter mais de 15 cinemas em pleno funcionamento.

[livre para todos os públicos]

Assista aqui.

São Paulo, Sociedade Anônima
(Luís Sérgio Person, 1965, 106 minutos)

Filmado em 1965, São Paulo, Sociedade Anônima é um dos grandes clássicos do cinema brasileiro. Com direção e roteiro de Luiz Sergio Person, o filme narra a dificuldade de Carlos (Walmor Chagas) em conciliar as pressões profissionais de Arturo (Otello Zeloni), as ambições de sua mulher Luciana (Eva Wilma) e a inconstância de sua amante Ana (Darlene Glória).

[classificação indicativa: 12 anos]

Assista aqui.

São Paulo, a Sinfonia da Metrópole
(Adalberto Kemeny e Rodolfo Lustig, 1929, 62 minutos)

O filme retrata a São Paulo do final da década de 1920. Urbanismo, monumentos públicos e industrialização mostram uma cidade que se expande em ritmo acelerado. Assim como um documento histórico, o longa traz o olhar dos diretores para uma cidade que cresce vertiginosamente sem deixar os personagens que a habitam, a população. E evoca a relação deles com o trabalho, a moda, os esportes e o cotidiano.

[livre para todos os públicos]

Assista aqui.

Os Cinemas Estão Fechando
(Abrão Berman, 1986, 27 minutos)

O curta-metragem do cineasta Abrão Berman documenta a falência sofrida pelos cinemas brasileiros nas décadas de 1960 e 1970. O levantamento foi feito com base em registros em super-8 e fontes de O Estado de S. Paulo, do Jornal da Tarde e do Jornal do Brasil. O filme pertence ao acervo do Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo.

[livre para todos os públicos]

Assista aqui.

Veja também

Os cinemas de Rino Levi

Os cinemas cumpriram importante papel no processo de metropolização de São Paulo, introduzindo novos modos de lazer de massa e contribuindo para difundir outros parâmetros da vida urbana