Há múltiplas formas de experimentar as obras de arte – não se trata da uma experiência restrita à visita aos espaços físicos como museus. Na coletânea desta semana da mostra Infâncias plurais, exploramos outros caminhos de relação com a arte, envolvendo tanto as linguagens da internet quanto o folclore e a vida cotidiana.

Veja também:
>> e-book
Diálogos entre educação e arte com o Acervo Itaú Cultural

Assista agora à Pequenos pensantes, de Fernando Cestonari Galeane e Rodrigo César Vulcano dos Santos; Criando repertório cultural, de Filipe Nobuyuki Gomes Kahi; Saci pensador, de Elaine Buzato Leme; Recarregando as baterias!, de Yuri da Silva Vasconcellos; Que brincadeira é essa?, de Daiana Scaramussa dos Santos; e Língua de brinquedo, de José Carlos Rêgo.

Infâncias plurais

Entre outubro e novembro de 2020, o Itaú Cultural (IC) e o Instituto Alana realizaram o ciclo Infâncias plurais, que propôs encontros e criação de projetos audiovisuais sobre infância e adolescência. Os curtas-metragens produzidos serão lançados em sessões semanais aqui no site.

Os participantes do ciclo, que produziram esses e os demais vídeos, foram selecionados por meio de edital. O objetivo do Infâncias plurais é proporcionar a troca de saberes com respeito às culturas da infância e democratizar o acesso a conteúdos culturais para a faixa etária de 7 a 14 anos.

Saiba mais na live de lançamento, que teve a presença do filósofo Renato Noguera, além de Tatiana Prado, do IC, e Raquel Franzim, do Alana.

Veja também