por Um Por Todos - Tulipa Ruiz

Eu quero fazer um texto líquido. Um texto molhado que limpe toda a dispersão que o contemporâneo tem encardido na gente. Em cima da umidade de cada palavra brotarão memórias de nossas ancestralidades. Lembraremos de tudo, desde a primeira placenta, o primeiro útero, a primeira respiração. De quando éramos rainhas e curandeiras. E também dos tempos em que fomos bicho, areia, cristal e energia. Lembra de quando a gente era luz? Em cada raio, uma oração. A cada estrofe, um trovão. A lembrança exata de quando a gente virou cor e tingiu de azul um bando de pássaros e oceanos.

O texto virá lambuzado de óleo essencial. Hortelã-pimenta, alecrim ou eucalipto. O perfume será notado a cada virar de página e com o auxílio do vento. A respiração ficará mais fluida durante a leitura. Haverá uma sensação saudável igual a quando a gente nasce, com os chakras* e os doshas** alinhados. Na publicação, cada vírgula terá um mantra acoplado. Todos para a Pachamama.

(imagem: Tulipa Ruiz)

Quem mergulhar no texto vai aprender a nadar. Primeiro oferecerei boias e depois pés de pato, conforme forem avançando. Para quem quiser ir mais fundo, as notas de rodapé poderão ser usadas como balões de oxigênio. As frases servirão de enxada para quem quiser plantar. Lembra de quando a gente era planta? A lembrança exata do chão antes de receber a semente.

O entendimento de que a vida não cabe em um parágrafo talvez seja o título provisório. Sei que os capítulos virão em gotas. A maioria virá de rios antes de serem profanados. Lágrimas poderão manter a umidade do papel. Normal elas pintarem, com tanto assunto liquidificado.

Spoiler: algumas páginas do texto terão enxurradas e maremotos terríveis. Sobreviveremos.

Fundamental sobreviver.

 

*os chakras são centros de energia ligados ao nosso corpo, usados em estudos e práticas orientais sobre o equilíbrio dos corpos e das mentes. A palavra vem do sânscrito.

**na Ayurveda, estudo sobre medicina desenvolvido na Índia há mais de 7 mil anos, doshas é o termo técnico para os humores.

Veja também

Texto Biodinâmico

Tulipa Ruiz relembra a infância e a adolescência no sul de Minas Gerais e conta como foi participar recentemente da 18ª Jornada de Agroecologia do Paraná

Toda ouvidos

Tulipa Ruiz fala sobre um recente reencontro musical com a maestrina Marisa Fonterrada e republica entrevista feita com ela em 2007