Classificação indicativa: Livre

Procissão para os Corpos que Não Morreram (Maria Macêdo, 2020, 4 minutos)

Sinopse: Caminho reverso para a cura do avesso. Ação, oração e devoção silenciosas para os corpos que permanecem vivos, mas invisíveis. Uma procissão de desejos gestados no útero dos pés em contato com o trato da terra. Exercício de ruptura das verdades historicizadas, estilhaçando o sentido das permanências, dos processos de migração como desenraizamento histórico que precisa ser reflorestado na existência do agora. Rumo controverso da promessa de salvação das urbes. Cruzamento de terra com asfalto. Encontro com a memória, benzimento das quatro. O asfalto não vai salvar ninguém.

[livre para todos os públicos]

A obra faz parte da terceira edição do Festival Arte como Respiro. Confira a programação completa.

Veja também